sábado, 28 de outubro de 2017

Turismo Paulista ganha mais 31 Municípios de Interesse Turístico





A Assembleia Legislativa aprovou na noite dia  (26/10), projeto de lei que classifica 31 cidades como Municípios de Interesse Turístico (MITs). A proposta é de autoria dos 94 deputados estaduais.
Os MITs receberão recursos anuais do Governo do Estado para serem destinados a investimentos de infraestrutura turística. A utilização da verba deve fomentar a ampliação e o fortalecimento das atividades econômicas da região.

As 31 cidades paulistas que deverão receber o título são: Altinópolis, Araras, Araraquara, Areias, Cabreúva, Campina do Monte Alegre, Cardoso, Cruzeiro, Itapuí, Itupeva, Jaú, Lençóis Paulista, Limeira, Lins, Mairiporã, Mira Estrela, Mogi das Cruzes, Nazaré Paulista, Novo Horizonte, Rancharia, Registro, Riolândia, Rosana, Santa Branca, Santa Cruz do Rio Pardo, Santo Expedito, São Simão, Tabatinga, Tambaú, Uchôa, Votuporanga.

MITs
Na prática, esta ação institui que 140 municípios paulistas serão de interesse turístico. Todas as cidades, excetos as 70 Estâncias já existentes, concorrerão a esse grupo, e paaltira participar desse time, os municípios deverão preencher alguns critérios. São eles: ter potencial turístico, Conselho Municipal de Turismo, serviço médico emergencial, meios de hospedagem, serviços de alimentação, de transporte, de segurança e de informação e receptivo turísticos; plano diretor de turismo, expressivos atrativos turísticos com acessos adequados e infraestrutura básica capaz de atender às populações fixas e flutuantes no que se refere a abastecimento de água potável e coleta de resíduos sólidos.
A classificação garante a cada cidade o recebimento de cerca de 650 mil reais por ano. A proposta é que, além das 70 estâncias já existentes no Estado, outros 140 municípios sejam incluídos na categoria.

Vinte deles já haviam sido classificados no primeiro semestre de 2017: Agudos, Barretos, Brodowski, Buritama, Espírito Santo do Pinhal, Guararema, Iacanga, Jundiaí, Martinópolis, Monte Alto, Pedreira, Piedade, Rifaina, Rubineia, Sabino, Sales, Santa Isabel, Santo Antonio da Alegria, Tapiraí e Tatuí.

sábado, 30 de setembro de 2017

Abav 2017 - Sustentabilidade com a Prata da Casa






Com 23 mil inscritos, entre profissionais e representantes de entidades do turismo a 45ª Abav Expo Internacional de Turismo, aconteceu entre o dia 27 a 29 de setembro. O evento teve o apoio e a participação da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) no Expo Center Norte. 
A abertura solene da Abav Expo contou com a presença dos ministros do Turismo, Marx Beltrão, e da Cultura, Sérgio Sá Leitão; do prefeito de São Paulo, João Dória; do presidente da Embratur, Vinicius Lummertz; do presidente do Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur) da CNC, Alexandre Sampaio, além dos líderes das principais entidades do setor e representantes do turismo nos governos estadual e municipal. Essa edição foi comprometia com os pilares da sustentabilidade e teve seis  palcos  da Vila do Saber com um grande e constante fluxo em todos os dias.
Aproveitando a presença do ministro e de autoridades, o presidente da Abav, Edmar Bull, lembrou a importância de avançar com a atualização da Lei Geral do Turismo, mas lembrou que as sugestões encaminhadas pelo segmento das agências e operadoras não foram contempladas na proposta encaminhada pelo MTur ao Congresso. “Sabemos que o ministro está trabalhando fortemente para que esse cenário mude e, embora não tenhamos tido êxito anteriormente, acredito que agora é a hora de conseguirmos melhorias para o setor”, disse. 
Para a presidente da Braztoa, Magda Nassar, o turismo no Brasil continua sendo coadjuvante e que é preciso mais apoio do governo, mais infraestrutura, menos corrupção e “um olhar mais estratégico para o setor”. “Precisamos que todo o setor gere mais trabalho direto e indireto, vamos ajudar o Brasil, levando e trazendo turistas, recebendo e trabalhando e não onerando empresários”, afirmou Magda.
Vários estados trouxeram seus produtos turísticos e encantaram o público de formas habituais com material gráfico e digital em grandes painéis de led mas o estande do Rio Grande do Norte deu um show a parte com a prata da casa, com o melhor do seu seu povo, cantando músicas da MPB e da cultura regional, um convite irrecusável para uma boa parada.


O Rio de Janeiro presente com suas belezas naturais e com o interior levando infinitas possibilidades de experiências, cultura, lazer, história, turismo de aventura, sol e praia e muitas outras.


                          Claudio Del Bianco - Dir. Del Bianco Operadora , César Fernandes - Sec.                                        Tur.Búzios, Cássia Penza, Cristiano Marques - Subsecretário Turismo - Búzios, Ângelo                              Luis - CEO Convention Bureau Búzios e Marcelo



                                                  Sérgio Mello - Dir. Turisrio e Cássia Penza


Cássia Penza, Mena e Marcus Mota - Grou Turismo

Carlos Eduardo Pereira - Dir. Clube de Turismo Bancorbrás, Cássia Penza e
Dannilo Trindade, Coord. Bancorbrás



Cássia Penza e Lampião

Meninas do México 





quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Sou Resíduo Zero - Pegada Sustentável ABAV 2017





Com pegada sustentável começa hoje a  45ª ABAV Expo Internacional de Turismo & 48º Encontro Comercial Braztoa, data de comemoração do Dia Mundial do Turismo. Em 2017, a celebração tratará do “Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento”, tema declarado pela Organização Mundial do Turismo das Nações Unidas (OMT) como mote para o período, com o propósito de incentivar as pessoas a fazerem escolhas mais conscientes e que causem menos impactos ao meio ambiente.

Para fortalecer o debate, a maior e mais importante feira de negócios de Turismo do Brasil firmou uma parceria com a  Eccaplan, consultoria em sustentabilidade, instalada na incubadora USP/IPEN – Cietec (Centro de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia), e instaurou o movimento Sou Resíduo Zero na ABAV Expo.
A ação é voltada para solucionar o problema do grande volume de lixo gerado em eventos, com um sistema que reduz a quantidade de resíduos enviados aos aterros sanitários, minimizando a quantidade de emissões de gases de efeito estufa ao meio ambiente. Na 45ª ABAV Expo, o trabalho é realizado em três etapas.
No pré-evento, a Eccaplan é responsável por fazer parcerias com cooperativas que irão auxiliar na triagem dos materiais e na coleta de recicláveis. A empresa também alinha o conceito do Sou Resíduo Zero com todos os expositores, montadora e equipe de limpeza, e utiliza canais de comunicação para engajar visitantes e expositores. Durante a feira, de 27 a 29 de setembro, será feita a coleta seletiva do lixo por cooperativas de catadores, que irão reincorporar os materiais recicláveis no mercado, o que gera emprego e renda a eles. Por fim, no pós-evento será elaborado um relatório detalhado com a quantidade de resíduos salvos do aterro.
“Adotar comportamentos sustentáveis é um compromisso ético com a própria economia. Por isso, nossa adesão ao programa Sou Resíduo Zero quer estimular o turismo sustentável, mas também destacar o benefício ambiental na geração de renda às cooperativas que estarão no evento”, comenta Edmar Bull, presidente da ABAV Nacional.
Para a Eccaplan, o propósito está em mudar a relação que as pessoas e as instituições têm com o meio ambiente, encarando os resíduos como recursos valiosos.
E que essa iniciativa seja um bom exemplo para muitos outros eventos que queiram estar compromissados com o bem receber, com posturas sustentáveis não só no Ano Internacional do Turismo Sustentável mas em todos os dias de todos os anos. O planeta agradece!


sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Morro de São Paulo grande destino baiano terá taxa para Visitação.




Morro de São Paulo terá taxa de acesso.
Assim como as cidades - destinos inteligentes e sustentáveis, os destinos mais procurados do Arquipélago de Tinharé; Boipeba, Moreré, Guarapuá e Morro de São Paulo, terá uma taxa entre R$ 15 e R$20. Essa tarifa foi instituída por lei aprovada em 22 de Agosto pela Câmara de Vereadores de Cairu, cidade do Baixo-Sul que abriga os principais pontos turísticos da região de Tinharé.

Cairu tem mais de 400 anos e vasto patrimônio histórico e ambiental. Para manter tudo preservado, há um custo já partilhado hoje com turistas, como em qualquer lugar do mundo, através de taxas para uso dos terminais náuticos e visita a monumentos. O que fizemos foi unificar todas em uma tarifa”, explica o advogado Alcides Bulhões, subprocurador no município.

Morro de São Paulo situa-se na Ilha de Tinharé, município de Cairu, estado da Bahia, região conhecida como Costa do Dendê, e possui suas raízes históricas no Brasil Colônia

Atitude sábia para coibir a degradação do patrimônio histórico, cultural e natural desses destinos.
Oferecendo assim uma CCT - Capacidade de Carga Turística, (Capacidade de Carga Turistica é o número máximo de visitas em um determinado período de tempo (dia ou mês ou ano) que uma área pode suportar, antes que ocorram alterações no meio físico e social), evitando que Morro de São Paulo e esses outros destinos aumentem a triste realidade dos grandes destinos degradados pela falta de Gestão, Governança e pela desenfreada comercialização sem nenhum compromisso sustentável.
Hoje podemos ver claramente os estragos em Veneza, Búzios, Espanha e muitos outros que sofrem também com problemas sociais causados pela falta de Capacidade de Carga Turística aplicada de uma forma objetiva e eficaz.









segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Royal Caribbean International, a Norwegian Cruise Line e a Carnival Cruise Line em Missões Humanitárias



Após o furacão Irma deixar um rastro de destruição nas ilhas do Caribe, os navios de cruzeiro que navegam pela região irão ser utilizados para auxiliar a recuperação dos portos e cidades afetadas.
Com seus cruzeiros cancelados, os navios encontram-se ociosos na parte oeste do Caribe – que não foi afetada pelo Irma – e serão agora aproveitados nos esforços humanitários. A Royal Caribbean International, a Norwegian Cruise Line e a Carnival Cruise Line anunciaram ações neste sentido.
Devido à temporada de furacões, mais de 20 cruzeiros tiveram que ser cancelados no Caribe. Além disso, uma quantidade significativa de viagens tiveram seus roteiros alterados para evitar os portos afetados pelos fenômenos. Antes do Irma, o Harvey já havia causado problemas para os navios.
A Royal Caribbean International é a companhia que anunciou mais medidas para auxiliar os locais afetados pelo Irma.
Com seus dois próximos cruzeiros cancelados, o Enchantment of the Seas foi utilizado para evacuar os funcionários da companhia que trabalham em terra em Miami, onde fica o escritório central da empresa. Os empregados foram convidados a embarcar com suas famílias no navio enquanto o furacão passa pela cidade. Com capacidade para cerca de 1,800 passageiros em ocupação dupla, o navio ficará em área segura em alto mar, enquanto espera o fenômeno climático se afastar da Flórida.
Também com seus cruzeiros cancelados, o Majesty of the Seas e o Adventure of the Seas serão utilizados para escalas humanitárias em St. Maarten e em St. Thomas. O objetivo das escalas é levar suprimentos para a população local, e evacuar turistas que tenham ficado presos nas ilhas.
O Empress of the Seas também será utilizado de forma semelhante, mas levará assistência aos portos de Tampa e Key West, nos EUA. Após retornar os funcionários da Royal para Miami, o Enchantment será o quarto navio utilizado nas missões de auxílio.
Após ter seu cruzeiro cancelado, o Norwegian Sky ficou fundeado em uma região próxima a cidade de Cancún, no México. Na manhã de ontem, no entanto, voltou a navegar para repatriar  americanos que ficaram presos na ilha de St. Thomas. Os 2,000 turistas não conseguiram retornar aos EUA antes da passagem do Irma.
O navio deve chegar em St. Thomas amanhã. Com todos os turistas a bordo, partirá rumo a Miami, onde tem chegada prevista para a próxima quinta-feira, dia 14.
A Norwegian Cruise Line também anunciou que irá alterar os roteiros do Norwegian Escape nos próximos dois meses. Todos os roteiros do navio que visitariam o Caribe Leste – zona mais afetada pelo furacão Irma – agora irão navegar para o Caribe Oeste. O Norwegian Escape encontra-se nesse momento atracado em Cozumel, no México, distante da área afetada pelo furacão.
A Carnival Cruise Line também anunciou auxílio a localidades afetadas pelo Furacão Irma. Um de seus navios, o Carnival Fascination irá levar suprimentos para a ilha de St. Kitts no final desta semana.
A companhia também irá entregar suprimentos em Grand Turk e está trabalhando com outras ilhas caribenhas para auxílio em longo termo.
Antes, a Carnival Corporation havia anunciado uma doação de 2 milhões de dólares para auxliar as vítimas do Furacão Harvey. A doação foi feita em conjunto com a Micky and Madeleine Arison Family Foundation, fundação do CEO da companhia, Micky Arison.
Belíssimo trabalho humanitário. Grande exemplo a ser seguido por todas as empresas que tem nesses destinos seus roteiros comercializados.
Texto (©) Copyright Daniel Capella | Imagem (©) Copyright Daniel Capella (Sky e Adventure), NCL (Escape) e Jonathan Schilling (Fascination)

segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Alíquota Máxima





Uma alíquota máxima de 12% do ICMS sobre o combustível dos aviões mobiliza empresários e 
autoridades da cadeia produtiva do Turismo, pois defendem que essa medida só trará benefício
para o desenvolvimento econômico e social dos destinos que poderão receber novos voos ou frequências adicionais. As companhias fundadoras da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR) têm disposição de criar 74 voos após a aprovação do Projeto de Resolução do Senado (PRS) 55, em tramitação no Senado.

O fundador e presidente do Conselho de Administração da CVC Viagens, Guilherme Paulus, enviou cartas a governadores em defesa da alíquota máxima de 12% sobre o querosene de aviação (QAV). “O benefício é para toda a cadeia produtiva do turismo, englobando bares, restaurantes, hotéis, comércio em geral e arrecadação de impostos para os Estados”, diz a carta de Paulus, também membro do Conselho Nacional do Turismo do São Paulo Convention Bureau (SPCVB) e vice-presidente da ABAV Nacional (Associação Brasileira de Agências de Viagem).
As dezenas de Convention & Visitors Bureaus espalhados pelo país, entidades sem fins lucrativos com o objetivo de ampliar o volume de negócios nas principais cidades, também, apoiam a redução da alíquota do ICMS sobre o combustível dos aviões, em cartas enviadas aos senadores dos respectivos estados. “Das questões que impactam na sustentabilidade do setor, um dos pilares para o turismo é a alíquota do ICMS que varia de 12% a 25%, um dos grandes responsáveis pelo encarecimento do preço para as viagens domésticas. São distorções que precisam ser corrigidas”.
O Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur) da Confederação Nacional do Comércio de Bens,  Serviços e Turismo (CNC) divulgou uma carta pública para defender o teto de 12% para a alíquota que incide sobre o QAV. “Para o Cetur/CNC, a medida impacta indiretamente a atividade turística no País, sobretudo em tempos de cenários adversos e busca de alternativas para a saúde dos negócios do setor”, diz a carta do Cetur/CNC.
Pela Assessoria de Imprensa da ABEAR

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Veneza pede Socorro


                                                                     Awakening/Getty Images

Veneza pede socorro pelos seus canais super-lotados, população flutuante exacerbada, com a falta de uma governança municipal sustentável, que traz a triste realidade de um futuro próximo de total exaustão como cidade turística, como cidade para seus munícipes. 
Turismo de massa, sem capacidade de carga pontual, leva a essa cidade encantadora pelos seus canais, gondolas, máscaras e  festivais a uma grande e temível situação.
A morte de Veneza já foi anunciada pelo inclemente acúmulo de água na laguna, de forma a solapar os alicerces seculares de seus solares, e pela frequente invasão de líquens infectos que empesteiam os canais e tornam o ar irrespirável especialmente no verão.

São 60 mil turistas, em média, dia após dia, numa cidade que tem hoje 55 mil habitantes. São 28 milhões de turistas por ano. Meio ambiente e qualidade de vida estão definitivamente prejudicados.

 logo após a Segunda Guerra, nos anos 1940, 175 mil moradores, uma boa quantidade deles abrigada em distinções nobiliárquicas, desfrutavam o privilégio de viver na cidade mais romântica do mundo – depois de Ouro Preto, naturalmente. 
“Julho e agosto é como estar na guerra”, desabafou Paola Mar, a diretora de turismo, ao jornal Independent. Não é força de expressão. 
A Unesco, que resguarda Veneza como um dos monumentos da humanidade, inclui-a na lista das “cidades em perigo”, na sintomática companhia de Alepo e Damasco (e, surpreendentemente, também de Viena, que está padecendo, em outra escala, do mesmo mal de Veneza).
“A maioria dos turistas vê Veneza como uma cidade de praia”, sugere Paola Mar. “E se comporta como se ela de fato fosse.”


Os passageiros de cruzeiros são os vilões mais visados pelos locais. Afirmam os venezianos que essas aves de arribação pousam por lá apenas algumas horas, gastam pouco e deixam um rastro de sujeira.

Quando falta Sustentabilidade em um destino, este é fadado a problemas irreversíveis e altamente custoso para a história, a cultura, para a população local.